Dicas de Paris

Meia-noite em Paris para Cadeirantes

Passeio em Paris para Cadeirantes

A designer de moda Michele Simões é cadeirante desde 2006. Ano passado ela realizou o sonho de visitar Paris e participou do nosso passeio Meia-Noite em Paris by bike utilizando uma scooter.  Abaixo leia sobre a experiência da Michele.

Por: Michele Simões

Um sonho que saiu do papel. Foi exatamente isso que aconteceu em 2018, quando finalmente visitei Paris pela primeira vez. Foi no improviso e meio sem querer que a Cidade Luz entrou no roteiro entre Londres e Barcelona após anos planejando uma viagem romântica – afinal, o que sempre ouvi dizer é que a cidade, apesar de linda, não é lá muito receptiva para viajantes que deslizam pelo mundo sobre rodas como eu, que sou cadeirante.

Fui psicologicamente trabalhada na ideia de que enfrentaria muitos perrengues, grosserias e falta de acessibilidade, mas, para a minha completa surpresa, Paris foi deliciosamente divertida e, apesar de alguns percalços, fui surpreendida de forma muito positiva, a começar pelo tão sonhado passeio de bike à meia-noite. Mal chegamos e foi o tempo de trocar de roupa e embarcar numa aventura que eu mesma nem sabia se daria certo – andar de scooter junto a um grupo de ciclistas, à noite e sem conhecer absolutamente nada da cidade.

A vida é uma só, e sempre que viajo planejo algo inusitado que, como cadeirante, pensaria não ser possível. Mas então penso “sim, vai rolar e vai ser inesquecível!” Foi exatamente assim que esse passeio aconteceu e se eternizou na minha memória, devido ao olhar receptivo da Fernada Hinke, que durante meses buscou tudo o que estava ao seu alcance para realizar o meu sonho de passear por Paris à meia-noite. Eu amo uma aventura, e me lembro da sensação como se fosse ontem: o vento no rosto, olhar todos aqueles monumentos que antes só havia visto nos livros… eu só pensava: “cara, eu tô aqui, andando nas ruas, vendo Paris à noite!” Foi uma mistura de sensações que fizeram meu coração acelerar ao perceber que eu estava tendo a oportunidade de me sentir uma viajante comum… assim como o grupo, eu era uma ciclista também, porém à minha moda. E esse sentimento de pertencimento não tem como traduzir, só vivendo para entender.

Paris não é obviamente uma das cidades mais acessíveis em que já estive, mas posso dizer que nem de longe está entre as piores. Sempre ouvi dizer que eu encontraria muitos obstáculos e que praticamente teria de andar de táxi o tempo todo, pela falta de acessibilidade nas ruas. Ledo engano. Durante meus 7 dias, peguei táxi apenas 3 vezes, justamente por estar esgotada de tanto andar pelas ruas, porém aí vai o primeiro alerta: algumas vezes na semana, os franceses colocam seus latões de lixo nas calçadas para que o caminhão faça a coleta, o que torna inviável o trânsito das cadeiras pelas calçadas. Então, quem não quiser passar apuros, é sempre legal verificar os dias e horários em que a coleta de lixo será feita na sua região.

PARIS PARA CADEIRANTES

Como uma turista bem clichê, fiz aquele trajeto básico Torre Eiffel, Louvre, Jardim de Luxemburgo, primeira loja da Channel (sou estilista, né, gente?!), Museu D’Orsay, Arco do Triunfo, Galerias Lafayette, Catedral de Notre Dame, Champs-Élysée e aquela “caminhada” pelas margens do Rio Sena – tudo de cadeira de rodas e transporte público, o que tornou a viagem ainda mais legal, pois, devido à falta de acessibilidade de Sampa, quase nunca consigo andar pelas ruas, então sempre que tenho essa chance, aproveito igual criança até o último segundo.

Eu passaria horas falando de tudo que visitei e gostei em Paris, é inexplicável a energia que essa cidade tem! Cada esquina é uma surpresa, um detalhe charmoso, uma combinação de cores inusitada ou uma história a se aprender… Não sei quando voltarei, mas aquela certeza de que minha primeira vez nesse lugar foi vivida intensamente faz aquela dorzinha de não poder voltar em breve se transformar naquilo que chamamos de lembrança boa e que nos faz viajar pra dentro de nossas memórias sempre que buscamos por um momento feliz.


Se você quiser saber mais sobre o trabalho da Michele siga ela no Instagram:

A  equipe do Meia-Noite em Paris ficou muito feliz em ter colaborado para a concretização do sonho da Michele. A partir desta temporada oferecemos oficialmente nosso passeio noturno para os viajantes cadeirantes. Mais informações clique aqui.

PARIS PARA CADEIRANTESPARIS PARA CADEIRANTES PARIS PARA CADEIRANTES PARIS PARA CADEIRANTES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *